Um Breve Estudo no Salmo 91

Data publicação 30/12/2020

Um Breve Estudo no Salmo 91

Pastor Washington Roberto Nascimento

1. Os salmos são orações e cânticos de louvor a Deus. Eles são expressões de fé em Deus em forma de oração e louvor.

A Bíblia é um livro que nos ensinar a orar e a louvar a Deus, o livro dos Salmos é muito especial quando o assunto é oração e louvor.

Essas orações e louvores que encontramos aqui nos salmos nos ensinam muito sobre quem é Deus, como ele se revela a nós e como nós podemos falar com ele, ter comunhão com ele.

2. Quando pregamos ou ensinamos a palavra de Deus o nosso propósito é ensinar as pessoas como ler a Palavra de Deus, com que olhos, com que lente, de que maneira, com que atitude, com que ferramentas, como fazer a exegese e a hermenêutica do texto bíblico. Fazemos isso na esperança que as pessoas, ouvintes, leitores, possam aplicar os princípios de interpretação do texto bíblico aqui apresentados, em suas casas, templos, trabalho e em suas leituras de outros textos da Bíblia também, em qualquer tempo ou lugar de suas vidas.

3. O Salmo 91 tem inúmeras lições para as nossas vidas.  Uma coisa que observamos logo no início é a mudança de pronomes pessoais impressionante. É sempre importante perguntar quando lemos: quem está falando? Sobre quem está falando? Etc.

O Salmo 91 mostra em alguns versículos que três pessoas falam no texto bíblico: eu, tu e ele. Todos falam de Deus e há momento que Deus, também, fala para o Seu servo.  A Bíblia nos ensina não apenas como Deus fala, mas como nós podemos falar com Ele.

Salmo 91:1 - O escritor bíblico fala do crente na terceira pessoa do singular. “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, na sombra do Todo Poderoso descansará”.

Ele, o crente aqui, é qualquer um, independente de nacionalidade, posição econômica e social, servo ou livre, homem ou mulher, jovem ou velho.

O esconderijo do Altíssimo encontra-se revelado em Sua Palavra. Aquele que habita em Sua Palavra, não apenas a visita, mas busca viver nela, por ela, à sombra do Onipotente descansará. Esta Palavra um dia se fez carne. Esta Palavra é o próprio Cristo de Deus. É nele que precisamos viver, é nele que encontramos graça, paz e descanso.

Salmo 91:2 – O escritor bíblico fala do crente na primeira pessoa do singular. “Eu direi para o Senhor: Meu refúgio e minha fortaleza, meu Deus, eu confiarei nEle”

(Tradução do texto original hebraico -  אֹמַ֗ר לַֽ֭יהוָה מַחְסִ֣י וּמְצוּדָתִ֑י אֱ֝לֹהַ֗י אֶבְטַח־בֹּֽו׃ ). 

Salmo 91:3 - O escritor bíblico fala de Deus e do crente. O escritor bíblico fala de Deus na terceira pessoa do singular e do crente na segunda pessoa do singular. “Ele (Deus) te livrará (isto é, livrará o crente) da armadilha do caçador, da peste, dos desejos ávidos de cobiça”.

(Tradução do texto original hebraico -  כִּ֤י ה֣וּא יַ֭צִּֽילְךָ מִפַּ֥ח יָק֗וּשׁ מִדֶּ֥בֶר הַוֹּֽות׃ ).

A palavra hebraica que traduzimos aqui por desejos ávidos de cobiça é: הַוּֽוֹת  - ela é um substantivo feminino, plural, e vem de:   הַוָּה – que significa desejo, mas que tem sido traduzida por destruição, calamidade.

Este versículo três do Salmo 91, fala de três grandes desafios para o crente neste mundo: Primeiro desafio: pessoas maldosas que armam ciladas para destruir gente, o próximo.

Segundo desafio: as petes, as calamidades que vem da natureza, de vírus, da seca, das enchentes etc.

Terceiro desafio: os desejos insaciáveis de nosso coração, a avidez da cobiça.

O Salmista ensina que só Deus pode nos salvar, livrar, arrebatar dessas situações de enorme perigo. Porém, é um erro pensar que Deus faz sempre, com todas as pessoas, em todos os lugares isso. Tal interpretação não tem apoio na Bíblia. E precisamos tomar cuidado para não usarmos um texto isolado de todo o restante da Bíblia e com base apenas em um texto estabelecermos um padrão para tudo, todos e em todos os lugares e tempos. Isso seria um desastre e um erro absurdo. 

Salmo 91:14, 15 e 16 temos o próprio Deus falando na primeira pessoa do singular. É Deus falando para você e para mim, para o Filho dele, o Senhor Jesus Cristo.

Quem é ele? Quem é tu? Quem é o “eu” do texto? `Precisamos aprender a dialogar com texto, fazer perguntas, buscar respostas. Isso poderá nos ajudar na interpretação da Palavra de Deus.

4. Outro tema interessante neste Salmo é o que diz respeito as pragas, enfermidades, coisas más, várias vezes aparecem no Salmo 91 (91:3, 5, 6, 7, 8, 10, 12 , 13). E há muitas pessoas que interpretam todos esses textos e promessas aqui literalmente como se todo o crente em Deus nunca, em tempo algum ou em lugar algum, experimentasse, sofresse, morresse de praga alguma, enfermidade alguma, problema algum. Que interpretação terrível, que engano!

Veja que coisa impressionante: Este salmo foi citado pelo diabo para tentar Jesus (Mt. 4:5-7; Lc. 4:9-12). Mas Jesus respondeu, dizendo que não devemos tentar o Senhor nosso Deus. Jesus pode nos ensinar como interpretar e viver a Palavra de Deus.

Jesus ensina que embora Deus prometa bênçãos, para os seus filhos, de proteção, cuidado, livramento, salvação, cura, etc, isto não significa que por causa disso todas as bênçãos matérias, de saúde, físicas, proteção, livramento, entre outras, os filhos de Deus terão e podem cobrar isso de Deus, mandar nele.

Bem, a Bíblia não ensina apenas que Deus nos abençoa com bênçãos materiais, ela nos ensina que abençoa muitas pessoas com o nosso testemunho no sofrimento, nas perdas, na dor, nas pestes, pandemia, perseguição, etc. Veja Habacuque (Hc. 3:17-19), Jó (Jó 1:1-22), Paulo, João Batista, etc. Veja Daniel, na cova dos leões e Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, quando estes disseram para o rei Nabucodonozor: Se o nosso Deus quiser livrar-nos das tuas mãos e desse fogo da fornalha, Ele nos livrará, mas caso Ele não queira no livrar, fique sabendo que permaneceremos fieis a Ele, nós não o abandonaremos, nós não adoraremos falsos deuses, a sua estátua, etc (Dn. 3:15-18).

Jesus, mesmo, disse para os seus discípulos que eles seriam perseguidos, odiados, tudo isso por causa do nome dele, mas que na perseverança de seus discípulos estaria o ganhar a salvação da alma (Lc. 21:16-19).

A Bíblia nos ensina que nada, coisa alguma poderá separar-nos do amor de Deus que está em Cristo Jesus (Rm. 8:35-39). A Bíblia nos ensina que nossa fé não depende das circunstâncias (Hc. 3:17-19; Fp. 4:11-13).

6. Que teologia cristã nós temos? Que Deus nós servimos, nós confiamos? É aquele que nos serve só com bênçãos materiais? Que nos poupa de todo o sofrimento, basta dá uma ordem para ele? Ou é aquele que Jesus revelou? Jesus foi homem de dores, ele sabe o que é sofre. Jesus, quando foi tentado por Satanás, que citou o Salmo 91 para ele, bem, Jesus disse para Satanás: Deus prometeu isso na Palavra, mas eu não vou tenta-lo, porque está escrito tabmém que eu não devo tentar a Deus. Jesus nos ensina a não fazermos uso isolado da Palavra de Deus.  Esta ideia de que Deus grande 100% de proteção contra pandemia, desastres, etc. é a mesma coisa que dizer que Deus  suborna os outros a terem fé nele com base em interesses de seguro contra enfermidade, mortes trágicas, etc. (Jó 1:10-11). A Bíblia nos ensina a hermenêutica de Jesus, de Daniel e seus amigos, de Paulo, etc, e não do Diabo.

O diabo conhece a Bíblia. E ele a usa, a cita para os seus propósitos diabólicos, malignos, de colocar a pessoa contra Deus. Primeiro ele insiste que a pessoa precisa acreditar literalmente em alguns textos bíblicos sem considerar outros textos bíblicos ou o contexto. Estranha exegese! Esdrúxula hermenêutica! Depois, quando a pessoa vê que Deus não fez aquilo que ele prometeu literalmente naquele texto, então o diabo diz para a pessoa, veja bem, não dá para confiar em Deus, não dá para confiar em sua palavra, etc. Ele é um ordinário, um mentiroso, astuto, enganador, etc. E, infelizmente, há muitas pessoas na escola de Satanás e depois ensinam isso, pregam isso. Como precisamos tomar cuidado!

7. A maior bênção de Deus, de acordo com Sua Palavra, é a Sua Presença. Moisés disse para Deus, se o Senhor não for conosco, não nos faça subir daqui (Êx. 33:15). Jesus disse: estarei convosco todos os dias até o fim (Mt. 28:18-20), nunca vos deixarei, de maneira alguma vos abandonarei (Hb. 13:5). Sua presença é suficiente em qualquer circunstância, em qualquer lugar, em qualquer tempo (Sl. 23). "Ainda que eu ande pelo vale escuro como a  morte, não terei medo de nada, pois tu, ó Senhor Deus, estás comigo". 

8. Este Salmo fala de uma maneira singular sobre Deus:

Salmo 91:1 apresenta Deus usando dois nomes: O Altíssimo e o Todo-Poderoso.

1. O Altíssimo – עֶלְיוֹן a ideia é de que Deus é o Supremo, não há ninguém, nem coisa alguma acima dele. Ele é o Altíssimo. Este nome -  עליון - aparece 53 vezes no Antigo Testamento. Em hebraico é um adjetivo, masculino, singular. A ideia é de um superlativo. Esta palavra vem do verbo עָלָהque significa ascender, subir, escalar.

2. O Todo-Poderoso – שַׁדַּי – que significa: suficiente. אֵל שַׁדַּיDeus Todo-Poderoso (Suficiente – Gn. 17:1; 28:3; 35:11; 48:3; 49:25; Êx. 6:2-3). Este nome de Deus aparece 48 vezes no Antigo Testamento.

Salmo 91:2 apresenta os seguintes nomes: O SENHOR e Meu Deus.

3. O SENHOR – יְהוָֹהO Deus da aliança com o seu povo o grande EU SOU. Este nome aparece 6.220 vezes no Antigo Testamento. Deus se revelou como -  יְהוָֹה  - o SENHOR quando apareceu a Moisés no deserto (Êx. 3:1-15; 19:4-6; 20:1-2).

4. Deus – אֱלהִים aquele que é divino, não é profano. אֱ֝לֹהַ֗יMeu Deus. Esta expressão: Meu Deus, aparece várias vezes na Bíblia. Nos lábios de Rute, temos a declaração de conversão (Rt.1:16). Nos lábios de Tomé, temos a confissão da restauração (Jo. 20:28). Nos lábios de Jesus, temos o grito daquele que morreu por nós (Mt. 27:46). Aqui, no Salmo 91:2, temos uma declaração de fé, de confiança, de ousadia.

Há momentos que nossa angústia e dor são tão grandes que pensamos que Deus nos abandonou. Porém, a Bíblia ensina que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer (Sl. 30:5).

9. O Salmo 91 termina com uma declaração da ação de Deus em favor de seu servo, do crente:  וְ֝אַרְאֵ֗הוּ בִּֽישׁוּעָתִֽי – “E farei ele ver a minha salvação”. O verbo ver aqui em hebraico é: רָאָה – que significa ver. Ele está no (grau) hifil em hebraico, que expressa uma ação causativa que envolve uma terceira pessoa. Ele encontra-se na primeira pessoa do singular, imperfeito, com sufixo pronominal terceira pessoa do singular, masculina. Daí a tradução: "Eu (isto é, Deus mesmo) farei com que ele (meu servo) veja a minha salvação". A última palavra deste salmo é:   בִּֽישׁוּעָתִֽי de onde temos a palavra hebraica: יְשׁוּעָה – que significa Salvação do Senhor, de onde temos o nome Jesus no Novo Testamento – יֵשׁוּעַ – 

Que Deus possa abrir os nossos olhos para ver a Sua Salvação que não se encontra nas circunstâncias, que não é da terra, mas do céu e que é não apenas para o tempo presente, mas para toda a eternidade.